Leilão de linhas de transmissão tem oito lotes arrematados

Fonte: Agência Brasil, publicado em 20 de Dezembro de 2018


Por Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil | São Paulo

 

O leilão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realizado hoje (20) na empresa B3, antiga BM&F Bovespa, na capital paulista, chegou ao fim da manhã com oito lotes arrematados abrangendo nove estados brasileiros. Ao todo o leilão abrange 16 lotes em 13 estados: Amazonas, Amapá, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, bPará, Paraná Rio de Janeiro, Rondônia,Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins. O certame começou às 9h. Com intervalo para almoço, o leilão deve ser retomado às 13h30.

 

O valor de oferta mais alto até agora foi o do Consórcio Neoenergia que arrematou o lote 1 por R$ 194,157 milhões, com deságio de 57%, atuando no Paraná e Santa Catarina.

 

O lote 2, no Rio de Janeiro, também foi arrematado pelo Consórcio Neoenergia por R$ 117 milhões, com deságio de 46,97%, para 656 km de linhas. A Neoenergia venceu ainda o lote 3, em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. O vencedor propôs deságio de 44,9%, com oferta de R$ 69 milhões. O lote tem uma linha de transmissão com 478 km.

 

Atendendo a Bahia e o Tocantins, o lote 4 foi arrematado pela Energiza por R$ 62,854 milhões e deságio de 45,84%. A CPFL ofereceu o maior lance pelo lote 5, com R$ 26,380 milhões e deságio de 57,14%, para 320 km de linha e uma subestação de 1.344 MVA, em Santa Catarina.

 

A vencedora do lote 6, que tem duas linhas que servirão para cidades em Santa Catarina, foi a Etep que ofereceu R$ 16,251 milhões.

 

O lote 7 - terá uma linha de 105 Km, além de uma subestação de 60 MVA, atendendo o Pará e o Amapá - foi arrematado pela Zopone Engenharia, com deságio de 53,49% e valor de R$ 20,698 milhões. O lote 8 teve deságio de 46,26%, arrematado por R$ 8,151 milhões, pela IGISS, que colocará em São Paulo 108 km de linhas de transmissão.

 

Estão sendo licitadas concessões para construção, operação e manutenção de 80 empreendimentos, dos quais 55 são linhas de transmissão e 25 são subestações. Serão contemplados 7,152 mil quilômetros de linhas de transmissão e subestações com 14,819 mil megavolt-ampere (MVA). As instalações entram em operação no prazo de 48 a 60 meses. A soma das Receitas Anuais Permitidas (RAP) dos lotes é R$ 2,1 bilhões, e os vencedores recebem essas receitas pela prestação do serviço por 30 anos.

 

Edição: Lílian Beraldo