Econometrix - Mais de 100 lojas no DF aderem ao Dia da Liberdade de Impostos






 



Mais de 100 lojas no DF aderem ao Dia da Liberdade de Impostos

Fonte: Agência Brasil, publicado em 24 de Maio de 2018


Por Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil | Brasíia

 

 

Mais de 100 lojas de quatro shoppings do Distrito Federal(DF) estão ofertando produtos com descontos de 15% a 70%, durante toda esta quinta-feira (24), como parte da 10ª edição do Dia da Liberdade de Impostos. Celebrada em 16 estados e no DF, a campanha tem como objetivo despertar a atenção da população quanto ao peso que os tributos têm em compras comuns do dia a dia e estimulá-la a verificar se os encargos pagos estão se convertendo, de fato, em serviços públicos de qualidade.

 

Além dos shoppings, os postos de combustíveis da rede Jarjour da Asa Norte, da Asa Sul e de Taguatinga participam da ação. Nas unidades da rede, estarão disponíveis, hoje, 30 mil litros de gasolina com preço reduzido, sendo que cada motorista poderá abastecer seu veículo com, no máximo, 20 litros e deverá efetuar o pagamento em dinheiro.

 

Para saber quais estabelecimentos de Brasília e entorno estão envolvidos na iniciativa, os consumidores podem consultar o site da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Jovem, entidade que organiza a campanha.

 

Neste ano, a campanha ampliou sua abrangência, passando a contar com a adesão de um maior número de lojistas e também de unidades federativas, já que, em 2017, apenas 11 estados e o DF articularam ações para marcar a data, que agora também é lembrada em Goiás, na Paraíba, no Rio Grande do Norte, em Roraima e São Paulo.

 

Na perspectiva da CDL, um dos meios de se reduzir os impostos que incidem sobre os produtos seria simplificar sua fórmula, criando uma taxa única para todo o país. O argumento é que isso permitiria que os brasileiros avaliar mais facilmente quanto do valor desembolsado por eles em cada compra corresponde a impostos.

 

"A gente paga muito imposto e nada disso volta para a sociedade. O que afeta os empresários é a burocracia na arrecadação. Hoje você tem imposto desde a matéria-prima até o produto vendido, diferentemente dos Estados Unidos, onde o imposto é cobrado apenas uma vez. Lá não há imposto em cascata", diz o coordenador nacional da CDL Jovem, Lucas Pitta.

 

Reconhecendo ser um defensor do Estado mínimo, Pitta diz acreditar em uma "competição leal e honesta" como sistema varejista ideal para garantir que o consumidor tenha o direito de escolher o que quer comprar. "O governo não sabe reduzir a máquina pública. Quer sempre passar a conta para sociedade e diminui as chances do empresariado. Só está sufocando o cidadão", afirmou.

 

"O evento continua acontecendo em todo o Brasil porque temos lojistas de estabelecimentos de todos os portes participando. É algo que consegue unir nosso protesto contra esse abuso que é a carga tributária e um dia de valorização do dinheiro do consumidor. É uma pauta constante. E a tendência desse movimento é, infelizmente, crescer. Pelo panorama [econômico], a ação está longe de acabar", acrescentou Lucas Pitta.

 

Impostômetro

 

De acordo com o Impostômetro, ferramenta desenvolvida pela Associação Comercial de São Paulo, a quantia arrecadada com tributos, em todo o país, já ultrapassa os R$ 941 bilhões.

 

No site da associação também é possível consultar os valores acumulados por cada governo estadual e, ainda, uma lista que enumera as porcentagens médias de imposto que incidem sobre itens básicos, como alimentos e fogão. Pela tabela, descobre-se, por exemplo, que quase metade (45,31%) do valor final de um óculos de grau equivale a tributos embutidos e que, ao comprar um chuveiro elétrico, o cliente está pagando 48,23% somente de impostos.

 

Edição: Aécio Amado