Quase 70% dos europeus acham positivo fazer parte da UE

Fonte: Agência Brasil, publicado em 23 de Maio de 2018


Por Marieta Cazarré - Repórter da Agência Brasil | Lisboa

 

O percentual de europeus que consideram positivo fazer parte da União Europeia (UE) chegou a 67%. O dado, divulgado hoje (23) pelo Parlamento Europeu, faz parte da pesquisa de opinião pública anual Eurobarômetro, realizada desde 1973 e que abrange uma grande variedade de temas, como meio ambiente, segurança, direitos humanos e economia.

 

Este ano, o Eurobarômetro ouviu 27 mil europeus. Entre a lista de temas prioritários dos cidadãos para a agenda da UE estão a luta contra o terrorismo (49% dos entrevistados), o combate ao desemprego jovem (48%) e imigração (45%). Cerca de um terço dos cidadãos cita o combate às alterações climáticas e a proteção do ambiente (35%) como questões prioritárias, sendo a promoção dos direitos humanos, da democracia e a proteção social dos cidadãos europeus escolhidos por 32% dos entrevistados.

 

A maioria dos entrevistados continua satisfeita com a forma como a democracia funciona no seu país (55%) e na UE (46%).


Eleições

 

Daqui a um ano, de 23 a 26 de maio de 2019, os cidadãos europeus vão às urnas para eleger os 705 deputados do Parlamento Europeu por sufrágio universal direto e escolher, indiretamente, o próximo presidente da Comissão Europeia.

 

O processo de nomeação do presidente da Comissão Europeia, conhecido como Spitzenkandidaten (candidato principal, em alemão) é uma forma de dar voz aos cidadãos da UE. Funciona assim: cada grupo político do Parlamento seleciona um candidato principal. O candidato do grupo que obtiver o maior número de assentos nas eleições para o Parlamento é designado para o cargo.

 

Metade dos europeus acredita que o processo Spitzenkandidaten é positivo (49% disseram que os encorajaria a votar nas próximas eleições europeias). Além disso, 63% dos cidadãos afirmaram que o processo traz mais transparência; 61% disseram que é um progresso significativo para a democracia europeia; e 60% acreditam dar mais legitimidade à Comissão Europeia.

 

Quase um terço dos entrevistados (32%) afirmou saber a data das eleições europeias e 50% se disseram interessados no processo eleitoral.

 

Atualmente, o Parlamento Europeu conta com 751 deputados, mas haverá uma redução do número total de membros após a saída do Reino Unido da UE, atualmente prevista para o final de março do ano que vem. Com isso, o total passará para 705.

 

A pesquisa também analisou as opiniões dos cidadãos sobre novos partidos políticos. Entre 2013 e 2018, mais de 70 novos partidos e alianças políticas surgiram na Europa.

 

Metade dos entrevistados não considera tais partidos ou movimentos uma ameaça à democracia, enquanto 38% os consideram uma ameaça.

 

Entre os entrevistados, 56% acreditam que novos partidos e movimentos podem trazer mudanças reais, enquanto 53% concordam com o fato de que eles poderiam encontrar novas soluções.


Portugal

 

Mais de três quartos dos portugueses (78%) consideram que o país se beneficiou com o fato de ser membro da União Europeia. Os portugueses estão entre os europeus que têm uma opinião mais positiva sobre o Parlamento Europeu.

 

De acordo com o Eurobarômetro, 41% dos portugueses consideram ser “muito importante” votar nas próximas eleições europeias (a média da UE é 49%), 36% consideram ser de importância média e 22% de pouca importância. Além disso, 47% dos entrevistados disseram estar interessado nas eleições europeias, enquanto 52% revelaram não ter interesse.

 

Os temas que os portugueses consideram mais importantes a serem debatidos são o combate ao desemprego dos jovens (61% dos entrevistados ), a proteção social (52%) e a economia e o crescimento (51%) .

 

O Eurobarômetro foi realizado entre 11 e 22 de abril de 2018 por meio de entrevistas presenciais com 27.601 cidadãos dos 28 Estados-Membros da UE, dos quais 1.093 portugueses.

 

Edição: Juliana Andrade