Macri propõe reforma tributária com foco em "igualdade e longo prazo"

Fonte: Agência Brasil, publicado em 30 de Outubro de 2017


Da Agência EFE

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciou nesta segunda-feira (30) uma proposta para realizar  uma reforma tributária com foco em "igualdade e longo prazo". A informação é da EFE.

"Queremos avançar para um sistema de impostos mais simples, claro e equitativo", disse Macri em um evento realizado em Buenos Aires, no qual apresentou uma agenda de propostas para promover consensos sobre políticas públicas que permitam gerar emprego, impulsionar a economia e combater a pobreza.

O ato contou com a participação de governadores, autoridades do gabinete nacional e das câmaras parlamentares, tanto do oficialismo como da oposição, assim como membros da Suprema Corte de Justiça e representantes do empresariado, dos sindicatos e das universidades.

"Durante muito tempo nós não pudemos equilibrar o uso dos cofres públicos. Isto não pode continuar assim. Não podemos seguir gastando mais do que arrecadamos", ressaltou o presidente, que assumiu o cargo em dezembro de 2015, após o governo de Cristina Kirchner.

Equilíbrio e superávit

Macri pediu compromisso com o "equilíbrio fiscal" em todos os níveis de governo e o estabelecimento de um caminho entre o Executivo nacional e os das províncias para se aproximar "o máximo possível" do superavit.

"Recebemos um Estado com um déficit alto, insustentável, que estamos diminuindo gradualmente. Queremos que a redução seja para sempre. Que os argentinos, inclusive os dirigentes, considerem o equilíbrio fiscal como requisito indispensável de um bom governo", explicou.

Sem entrar em detalhes sobre a proposta do seu governo, Macri adiantou que prevê "igualdade e longo prazo" com a reforma tributária.

"Infelizmente, temos impostos que nenhum país tem. Altos demais, com distribuição pouco equitativa e um sistema tributário complicado e embaraçoso. A pior distorção do nosso sistema é a evasão fiscal, que gera concorrência desleal e pune os mais produtivos, os que investem e dão trabalho formal. Já começamos a diminuir a carga tributária, mas ainda resta muito caminho a ser percorrido", destacou o presidente.

* É proibida a reprodução total ou parcial desse material. Direitos Reservados.