União Europeia reconhece risco de recessão e crescimento modesto

publicado em 05 de Setembro de 2011


(Clique aqui para ler a matéria na fonte) 


Fonte: Agência Brasil

Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, disse hoje (5) que a Europa está ameaçada por uma recessão e previsão de crescimento "modesto". A análise foi feita no momento em que há indicadores de instabilidade econômica em países como a Grécia, a Espanha e a Itália, que anunciaram pacotes para redução de gastos.

"A última previsão da Comissão Europeia mostra que haverá um crescimento, um crescimento modesto", disse Barroso. Segundo ele, a União Europeia e o euro "são fortes e sólidos," apesar da queda da moeda em comparação ao dólar, nas últimas três semanas.

Barroso disse ainda que há previsões da agência de classificação de riscos Standard & Poors, que reduziu a nota dos Estados Unidos e da Venezuela, indicando que deve ocorrer um “abrandamento do crescimento” no segundo trimestre do ano e a "perspectiva" de uma recessão provavelmente na Europa.

No entanto, Barroso prefere trabalhar com a hipótese de a perspectiva de recessão não ocorrer, baseado nos esforços dos líderes da comunidade europeia em conter gastos e aumentar a arrecadação.

A agência revisou de 1,9% para 1,7% a previsão de crescimento na zona euro em 2011. Para 2012, também houve uma redução na estimativa, de 1,8% para 1,5%. "Estamos fazendo tudo o que for necessário [para evitar a concretização dessa previsão]", disse Barroso, reconhecendo que há ainda problemas fiscais e de regulação financeira a serem resolvidos.

A crise econômica internacional tem sido assunto constante das conversas da presidenta Dilma Rousseff com as autoridades brasileiras. No último dia 1º, a presidenta disse que essa crise tem uma tendência de ser de “longa duração”.

Para ela, a alternativa para enfrentar os impactos causados pela crise é por meio da manutenção de investimentos e dos gastos com programas sociais. Dilma disse que o Brasil deve continuar investindo e criando oportunidades de emprego.


*Com informações da emissora de televisão multiestatal, Telesur, sediada em Caracas, capital da Venezuela // Edição: Juliana Andrade // Matéria alterada às 11h33 para esclarecimento de informação


Leia mais:

Argentina lança hoje plano nacional para estimular agricultura e pecuária

Congresso da Argentina ratifica criação do Banco do Sul

Italianos fazem greve geral em protesto contra plano de austeridade


{jcomments on}