Ministro participa de primeira formatura do Pronatec Campo em Assentamento da Reforma Agrária

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Agrário, publicado em 15 de Setembro de 2014


A realização de um sonho. Esta é a definição dos 34 alunos que se formaram no curso de Agricultura Familiar do Assentamento Filhos de Sepé, no município de Viamão, no Rio Grande do Sul. Os alunos aprenderam a desenvolver boas práticas de fabricação de alimentos e também o gerenciamento das propriedades. Foi a primeira formatura do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego do Campo (Pronatec Campo) em um assentamento da reforma agrária.

 

O ministro interino do Desenvolvimento Agrário (MDA), Laudemir Müller, fez a entrega dos diplomas no sábado (13) e destacou que esse é mais um exemplo do desenvolvimento do país, principalmente do meio rural. "Desenvolver esse país significa apostar e incentivar a agricultura familiar e a reforma agrária. Temos não só que produzir, mas nos organizar do ponto de vista econômico. Temos que desenvolver o sistema da agroecologia e comercializar diretamente os nossos produtos. E isso que desenvolve o nosso assentamento, a região, o nosso país".

 

Müller acrescentou ainda que isso é o resultado do aumento e da facilidade do acesso às políticas públicas. "Nada disso a gente faz se não tivermos rompido a barreira do desconhecimento. Por isso, trazemos para os assentamentos da reforma agrária as políticas que outros já têm acesso. Como a educação, estrada boa, casa digna, água, luz. Desenvolver esse país significa apostar e incentivar a agricultura familiar e a reforma agrária, que são pilares do nosso projeto de desenvolvimento", ressaltou.

 

Para a oradora da turma, a agricultora Ana Eloisa Dorneles, o curso trouxe uma nova oportunidade de aperfeiçoamento para melhorar a propriedade e enfrentar a concorrência no mercado. "Somente pela educação podemos mudar a realidade de muitas pessoas que vivem no campo. Hoje somos ricos de espírito e consciência, pois sabemos que as pessoas que se alimentam do que é produzido dessa terra serão mais saudáveis e felizes. Elas estão consumindo produtos livres de veneno ou qualquer resíduo químico", afirmou.

 

Os formandos passaram seis meses aprendendo técnicas ligadas à atividade do agricultor familiar. O curso começou em maio deste ano, teve 200 horas e incluiu disciplinas como Projeto Integrador, Noções Básicas dos Processos Agroindustriais, Gestão e Empreendedorismo na Propriedade Rural, Produção Vegetal, Produção Animal e Orientação Profissional e Cidadã.

 

Esta ação é parte de uma estratégia de desenvolvimento do campo, em escala nacional, que tem como objetivo integrar a qualificação profissional de trabalhadores com a elevação da escolaridade. A intenção é que o Pronatec Campo sirva de instrumento para fomentar o desenvolvimento profissional, a inclusão e a promoção do exercício da cidadania.

 

Tássia Navarro/MDA