Déficit nas contas externas em janeiro é o maior já registrado pelo Banco Central

Fonte: Agência Brasil, publicado em 22 de Fevereiro de 2013


Kelly Oliveira
Repórter da Agência Brasil

 

Brasília – O Brasil iniciou o ano com saldo negativo de US$ 11,371 bilhões nas transações correntes – compras e vendas de mercadorias e serviços do país com o mundo –, de acordo com os dados de janeiro divulgados hoje (22) pelo Banco Central (BC). É o maior resultado negativo registrado pelo BC na série histórica iniciada em 1947. Em janeiro do ano passado, o déficit ficou em US$ 7,050 bilhões no mês passado e em dezembro, em US$ 8,413 bilhões.

 

Segundo o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, o resultado negativo “significativo” é explicado pelo déficit “expressivo” da balança comercial, em janeiro. Mas a expectativa é que haja melhora nos resultados da balança comercial, devido ao aumento da safra de soja e dos preços do minério de ferro. A balança comercial é um dos itens das transações correntes.

 

De acordo com Maciel, outro fator foi o aumento das remessas de lucros e dividendos de empresais filais no Brasil para o exterior. Essas remessas líquidas chegaram a US$ 2,068 bilhões, em janeiro deste ano, contra US$ 981 milhões em igual mês de 2012. Neste mês, até o dia 20, as remessas estão em US$ 1,106 bilhão.

 

Maciel acrescentou que o aumento das remessas é natural devido ao crescimento do estoque de investimento estrangeiro direto no país. “Reflete também a atividade econômica. Pode ser um indicador de reação da atividade econômica interna”, disse.

 

Em janeiro, a balança comercial (exportações e importações) registrou déficit de US$ 4,036 bilhões. A conta de serviços (viagens internacionais, transportes, aluguel de equipamentos, seguros, entre outros) apresentou déficit de US$ 3,680 bilhões, enquanto que a de rendas (remessas de lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários) teve saldo negativo US$ 3,844 bilhões.

 

O ingresso líquido de transferências unilaterais correntes (doações e remessas de dólares que o país faz para o exterior ou recebe de outros países, sem contrapartida de serviços ou bens) ficou em US$ 188 milhões.

 

Para este ano, a estimativa do déficit em transações correntes é US$ 65 bilhões, o que corresponderá a 2,74% do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país.


Edição: Juliana Andrade