Balança comercial do Ceará tem déficit de US$ 1,6 bi em 2012

Fonte: InvestNE, publicado em 08 de Janeiro de 2013


Apesar do resultado negativo, superintendente do Centro Internacional de Negócios diz que em quatro anos haverá aumento substancial das exportações.

 

A balança comercial cearense em 2012 registrou saldo deficitário de aproximadamente US$ 1,6 bilhão e a balança brasileira permanece superavitária em U$$ 19,4 bilhões. É uma queda um pouco mais acentuada do que a registrada em 2011 ( U$$ -997.417.703) e em 2010 (U$$ -899.702.246). Os dados, divulgados nesta terça-feira (8), são do estudo Ceará em Comex, documento estatístico do comércio exterior cearense elaborado pelo Centro Internacional de Negócios (CIN) da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec). O estudo é relativo ao mês de dezembro e também ao ano de 2012 e tem como fonte-base o sistema AliceWeb do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

 

Segundo o superintendente do CIN, Eduardo Bezerra, os grandes investimentos nas importações vindas da Coreia do Sul para montagem da Companhia Siderúrgica do Pécem (CSP) e dos procedimentos aplicados na construção de parques eólicos no Ceará foram as causas principais do resultado negativo da balança. "Estamos perdendo agora para ganhar depois", reforça. Ele ainda diz que os investimentos que causaram o déficit não são motivo de preocupação, pois vão se converter em benefícios no presente e no futuro. Bezerra afirma que em quartro anos haverá aumento substancial nas exportações cearenses.

 

De acordo com o estudo, considerando apenas o mês de dezembro/2012, o valor exportado diminuiu em 19,9% em relação a 2011. No caso das importações, a queda foi de 19,1%. Responsável por 0,5% das exportações brasileiras e 6,7% das exportações nordestinas em 2012, o Ceará fecha o ano em 15º lugar na classificação nacional e o 4º lugar na classificação regional. Em 2012, o Ceará exportou para 91 países-destino.

 

Eduardo Bezerra apontou ainda que o Ceará tem mantido uma boa posição nas exportações em meio a crise, pois, segundo ele, as exportações em 2012 foram as mesmas de 2010. Para o superintendente, isso é ótimo. "Em meio a crise, conseguimos manter o mesmo nível de exportações de dois anos atrás", explica.


Setores

Os setores de calçados, couros, castanha de caju e fruticultura são os mais representativos e respondem por 64,1% do valor exportado pelo Ceará. Apenas um entre os dez produtos mais exportados não é oriundo desses setores, as ceras vegetais. Destaca-se também a presença do porto de São Francisco do Sul-SC entre os principais corredores de exportação do nosso estado em 2012, sendo que em 2011 não houve participação. Houve uma queda de 37,7% na participação do Porto do Pecém em 2012, passando de 62,2% em 2011 para 42,9% em 2012. Já o Porto de Fortaleza teve um crescimento de14,8% na sua participação, passando de 26,3% em 2011 para 33,5% em 2012.

 

Os Estados Unidos continuam sendo o principal país de destino, recebendo 23,6% do valor exportado nesse ano pelo Ceará, cerca de U$$ 299,1 milhões. Na classificação por blocos econômicos, a União Europeia ultrapassa a Nafta em dezembro e fecha o ano como o principal bloco de destino das exportações cearenses. A China é a principal parceira comercial do estado onde, juntamente com Estados Unidos e Argentina, representam 45,9% do total importado em 2012.

 

Os setores mais representativos das compras cearenses são: máquinas e metal-mecânico (18,2%), combustíveis e óleos (15,7%), ferro e aço (13,7%), eletrônicos e eletrodomésticos (11,7%). Nesses quatro setores, o valor importado cresceu em relação a 2011.

 

Por Mariana Bezerra