Guido Mantega anuncia redução de taxas no Banco do Nordeste

Fonte: Banco do Nordeste, publicado em 10 de Setembro de 2012


Na posse do novo presidente do Banco do Nordeste, Ary Joel, realizada na tarde desta quinta-feira, 6 de setembro, na sede da instituição no Passaré, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou a redução de juros no BNB, notadamente aqueles praticados no âmbito do FNE, cuja menor taxa caiu de 3,75% para 3,50%; e do crédito para investimento, que passa a ser de 2,5% a.a. 



Ele também destacou o grande aumento no volume de crédito praticado pelo Banco, que foi multiplicado por mais de dez, de 2002 para cá. Segundo ele, este desempenho fez do BNB o 9º maior banco brasileiro em ativos.



Guido Mantega ainda ressaltou a forte atuação do Banco do Nordeste no microcrédito, cujos programas Agroamigo e Crediamigo são reconhecidos internacionalmente. Ele também creditou ao BNB papel de grande importância na alavancagem das taxas de crescimento da Região, que têm sido superiores à média nacional nos últimos anos, e na redução da miséria absoluta. “O Nordeste já deixou o estigma da pobreza para trás. Hoje, é reconhecido pelo dinamismo de sua economia”, disse.


O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, anunciou a aprovação de recursos adicionais para o FNE, no montante de R$ 500 milhões, a título de crédito emergencial para as vítimas da estiagem. “Passamos por uma nova etapa nesta instituição, que é a cara e a marca da Região. Não se pode falar na história de desenvolvimento do Nordeste sem falar na história do Banco do Nordeste”, justificou.



O governador do Ceará, Cid Gomes, lembrou que Ary Joel toma posse num cenário de crise econômica internacional, mas de importantes conquistas para a instituição. Neste sentido, ele citou a recente elevação do capital do Banco, a redução dos juros, ampliação do quadro de agências, e principalmente a financeirização do FDNE, que vai permitir a acumulação de R$ 30 bilhões nos próximos 10 anos. 



Ary Joel: “BNB deve aplicar R$ 1,8 bilhão por mês até o fim do ano”
Para cumprir sua meta anual de aplicações, que é de R$ 22 bilhões, o Banco do Nordeste deve contratar R$ 1,8 bilhão por mês até o final do ano, para o qual restam apenas 74 dias úteis. “Este desafio será cumprido com a cooperação do corpo funcional, o ativo mais valioso da organização”, afirmou o novo presidente do Banco do Nordeste, Ary Joel, em seu discurso de posse, que aconteceu na manhã desta quinta-feira, 6 de setembro, na sede da instituição em Fortaleza. 



Prestigiaram a solenidade os ministros da Fazenda e da Integração Nacional, respectivamente Guido Mantega e Fernando Bezerra, o presidente do Conselho de Administração do BNB, Dyogo Oliveira, o governador do Ceará, Cid Gomes, além de senadores, deputados, ex-presidentes do BNB e representantes de instituições parceiras do desenvolvimento regional. 



“Tenho plena consciência das responsabilidades que ora assumo. Tenho a exata medida da importância da missão que me foi entregue, de conduzir uma empresa do porte e da magnitude do Banco do Nordeste. São 60 anos de história, no papel simultâneo de banco de desenvolvimento e banco comercial, com muitas realizações em diferentes campos de atividade”, afirmou Ary Joel.



O presidente ressaltou que o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), principal fonte de recursos do BNB, já ultrapassou a marca de R$ 100 bilhões em valores contratados, desde sua criação em 1989 até junho deste ano. Somente no período de 1999 a 2009, as empresas financiadas pelo FNE geraram 40% a mais de empregos e 45% a mais de massa salarial do que as que não foram financiadas por ele.



“A forte presença do BNB no financiamento à economia nordestina é bem ilustrada por sua participação relativa no mercado de crédito regional. Segundo o Banco Central, em 2011, respondeu por 65% do valor do financiamento dos investimentos industriais e 74% do valor do financiamento rural e agroindustrial, ou, ainda, 69% do financiamento total, excluído o financiamento imobiliário”, informou.