Osório Viana


Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Ceará; Mestre em Economia Agrícola pela University of California, Berkeley; Livre-Docente em Desenvolvimento Sustentável na Universidade Federal do Ceará; Especialista em Economia Ecológica pela Fundação Joaquim Nabuco; Especialista em Estimação de Parâmetros Nacionais e Preços de Conta pela Universidad de los Andes – UNIANDES; Especialista em Avaliação Financeira e Econômica de Projetos Industriais pela Universidad de los Andes – UNIANDES; Especialista em Desenvolvimento Econômico e Social pelo Institut d’Etudes du Développement Economique et Social – IEDES - Université de Paris; Especialista em Administração de Empresas pela Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas – EAE/FGV; Especialista em Análise Econômica pela Universidade Federal do Ceará – UFC; Foi Professor do Departamento de Teoria Econômica da UFC; Foi Economista do Departamento de Análise de Projetos e do Departamento de Planos e Programas, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID); Ex-Assessor para o Ensino Superior, da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, do Governo do Estado do Ceará; Ex-Superintendente do Instituto de Planejamento Municipal (IPLAM), da Prefeitura Municipal de Fortaleza.









    Vivam os carros! Abaixa o Povo!

    Públicado: 07 de Maio de 2014


    Osório Viana Todos sabem que Paris é conhecida como a cidade-luz, aquela sobre a qual o escritor Ernest Hemingway afirmava: “Paris é uma festa!”. Um de seus mais belos monumentos é o magnífico Arco do Triunfo, bem no centro da Praça da Estrela, cujo nome advém de a ela convergirem 12 avenidas diferentes. Doze. Que barbaridade! Será? É possível que a Administração de Fortaleza queira recomend ...



    O mito do crescimento econômico

    Públicado: 10 de Novembro de 2011


    O MITO DO CRESCIMENTO ECONÔMICOOsório Viana Com a costumeira festa, desde o governo anterior, tem sido apresentado à Sociedade brasileira o PAC – Programa de Aceleração do Crescimento. Se o retorno a algo de planejamento público é fato positivo, não devemos pôr todas as apostas no mero crescimento econômico. A finalidade da argumentação que se segue (quase uma nota técnica) é, apenas, qualificar (ou desmitificar) a crença no crescimento, demasiadamente repetida com ares de verdade absol ...