O setor empresarial cearense vis-a-vis o setor empresarial brasileiro em 2012



PEDRO JORGER RAMOS VIANNA

Professor Titular da UFC. Aposentado

 

Utilizando as estatísticas apresentadas na publicação “Valor 1000”, (Valor, 2013) apresento a seguir a relação das maiores empresas do Ceará, classificadas por “Receita Líquida”, para o ano de 2012, conforme Quadro 1, a seguir.

 

QUADRO 1

AS EMPRESAS CEARENSES NO “RANKING” DAS 1000 MAIORES EMPRESAS NACIONAIS

 

EMPRESA

CLASSIFICAÇÃO ENTRE AS 1000 MAIORES EMPRESAS DO BRASIL

RAMO DE ATIVIDADE

RECEITA LÍQUIDA EM

R$ MILHÕES

M. Dias Branco

117

Alimentos

3.545,2

Farmácia Pague Menos

137

Comércio Varejista

3.137,9

Grendene

219

Têxtil, Couro e Vestuário

1.882,3

Três Corações Alimentos

224

Alimentos

1.813,6

Aço Cearense

236

Metalurgia e Siderurgia

1.703,1

Norsa

283

Bebidas e Fumo

1.418,1

J. Macedo

334

Alimentos

1.217,8

Vicunha Têxtil

343

Têxtil, Couro e Vestuário

1.170,2

ARM Telecom

348

Construção e Engenharia

1.139,6

Cagece

466

Água e Saneamento

 823,9

Esmaltec

489

Eletroeletrônica

785,6

Marquise

552

Construção e Engenharia

679,2

Dass Nordeste

562

Têxtil, Couro e Vestuário

662,6

Moinho Cearense

858

Alimentos

379,7

Dakota Nordeste

928

Têxtil, Couro e Vestuário

341,3

Distribuidora Fartura

941

Comércio Varejista

335,6

Porto do Pecem Geração de Energia

950

Energia elétrica

333,1

Fundação Edson Queiroz

989

Serviços Especializados

313,8

Fonte: “1000 Maiores Empresas e as Campeãs em 25 Setores”.

            Valor 1000, Ano 13, Número 13, Agosto 2013

 

A análise, por setor, dessas 18 empresas que fazem parte do “ranking” das 1.000 maiores empresas nacionais, mostra que os setores mais importantes em termos da renda líquida do setor industrial, são Alimentos e Têxtil, Couro e Vestuários (oito empresas) mostrados no Quadro 2, a seguir.

 

QUADRO 2

AS EMPRESAS CEARENSES NO “RANKING” DAS 1000 MAIORES EMPRESAS BRASILEIRAS

SETORES

NÚMERO DE EMPRESAS

SOMA DA RECEITA LÍQUIDA EM R$ MILHÕES

Alimentos

4

6.956,3

Têxtil, Couro e Vestuário

4

4.056,4

Comércio Varejista

2

3.473,5

Construção e Engenharia

2

1.818,8

Metalurgia e Siderurgia

1

1.703,1

Bebidas e Fumo

1

1,418,1

Água e Saneamento

1

823,9

Eletroeletrônica

1

785,6

Energia elétrica

1

333,1

Serviços Especializados

1

313,8

TOTAL

18

21.682,6

Fonte: Quadro 1

 

Qual o peso dessas empresas na economia cearense? Apenas como uma “proxy”, vamos considerar o PIB do Ceará em 2012. As estimativas do IPECE (IPECE, 2013), apontam (estimativa) para um valor de R$94.655,0 milhões. Portanto, estas 18 empresas responderiam por 22,91% do que é produzido no Estado.

 

Este fato dá a idéia da concentração econômica existente no sistema econômico estadual. Tal concentração pode ser uma verdadeira “espada de Dâmocles” para o sistema econômico, pois basta que um desses setores entre em crise para se ter um grande problema a resolver.

 

É importante verificar que em termos de indústria de transformação (o mais importante ramo industrial no Estado) apenas cinco setores aparecem neste “ranking”, quais sejam: Alimentos, Têxtil, Couro e Vestuário, Metalurgia e Siderurgia, Bebidas e Fumo, Eletroeletrônica.

 

 

BIBLIOGRAFIA

 

VALOR; 1000 Maiores Empresas e as Campeãs em 25 Setores”.

               Valor 1000, Ano 13, Número 13, Agosto 2013.

 

IPECE; www.ipece.ce.gov.br



    Pedro Vianna


    Sócio fundador da Econometrix e da TPJ Economistas Associados, com 40 anos de experiência na área da Ciência Econômica. Foi Diretor do Sistema BEC/BANDECE. Foi chefe do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste-ETENE, do BNB. Foi Vice-Presidente da Associação de Bancos de Desenvolvimento - ABDE. Foi Professor Titular em Ciência Econômica da Universidade Federal do Ceará. Foi Professor Pesquisador do Seminar Für Allgemeine Betriebswirtschaftslehre, Beschaffung und Produktpolitik, e do Institut Für Finanzwissenschaft, ambos da Universidade de Colônia (Alemanha). Especialista nas áreas de Economia Internacional e Ciência Tributária.